Claro escuro

Igreja de São Francisco, São João del-Rei, Minas Gerais, 2010

Depois de alguns meses fotografando em dúzias de igrejas na Europa, acabei desenvolvendo involuntariamente uma rotina básica: vou direto para os mesmos pontos, procuro as mesmas coisas e as enquadro do mesmo jeito. Como viajava quase sempre com amigos, não podia me dar ao luxo de permanecer o tempo que gostaria para conceber as fotografias e executá-las.

Dessa vez era diferente: eu estava sozinho e a igreja, vazia. Havia um outro fotógrafo ali, disparando freneticamente flashes e andando de um lado para outro sem parar, mas ele foi embora em menos de 10 minutos. A igreja em si me agradou bastante, um exemplar dos mais bem conservados de barroco mineiro (inclusive mais do que a maioria das igrejas de Ouro Preto).

Comecei a considerar possibilidades que não se encaixassem na minha rotina, e depois de analisar os altares e alguns detalhes, a porta principal me chamou a atenção. Ela estava aberta, mas cada um de seus lados estava apontando em direção ao púlpito, e não junto às paredes, como é de se esperar. Além disso, como o portão principal (que fica depois da porta) estava fechado, ela era iluminada somente pela luz já difusa que entrava pelas janelas e era refletida por toda a igreja.

Essa situação pouco usual pouco a pouco deu forma à foto acima: me posicionei ante a porta, tomei o cuidado de não inclinar a câmera verticalmente para que não houvesse distorção de perspectiva vertical, e procurei uma altura que fizesse com que as linhas superiores da porta se integrassem com as linhas formadas pelos chanfros que fazem a transição das paredes ao teto. Escolhi uma distância focal que me permitisse uma boa proporção entre a porta e o fundo (no caso, o extremo grande-angular da lente zoom), e enquadrei de modo a incluir um pouco da parte à sombra de onde eu estava, definindo um frame secundário.

A luz suave na porta evitou que ela se sobressaísse demais sobre o fundo, e a deixou em tons não muito escuros nem muito parecidos com os do fundo. Na pós-produção rebaixei um pouco mais os tons do fundo, além de reduzir a distorção de barril e resquícios de distorção vertical.

Anúncios

Uma resposta em “Claro escuro

  1. Pingback: Catedral de Santiago | Antes do Click

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s