Sapatos de ferro

Budapeste, Hungria, 2007

Alguns motivos acabam por resultar sempre em fotos parecidas por fotógrafos diferentes. Isso costuma ocorrer com paisagens ou arquitetura, onde muitas vezes há limitação sobre o posicionamento da câmera, de tal modo que há sempre um ponto específico que é utilizado por todos.

Não era o caso deste memorial em Budapeste, pois consistia de vários elementos separados, espalhados por uma área, mas que formam um conjunto. Isso, juntamente com o entorno (o Danúbio, a cidade, a Chain Bridge), proporcionavam uma série de composições diferentes variando-se o ponto de vista, e basta uma rápida busca no flickr para perceber como cada pessoa escolhe um diferente. É justamente nesses casos em que vale a pena uma análise mais exaustiva das possibilidades.

Como requisitos para esta foto, defini que queria mostrar o conjunto como um todo, mas de maneira objetiva e clara: se houvesse demora em perceber que cada uma das manchas era um sapato, a foto não funcionaria. Comecei então me posicionando junto à margem do rio, de maneira que pudesse enquadrar todos eles. Procurei uma altura que permitisse ao primeiro ficar em um tamanho grande o suficiente para ser reconhecido de imediato, mas mantendo a relação com todos os outros como elementos de igual importância.

Se eu me aproximasse demais e usasse uma distância focal grande-angular, ele ficaria grande demais, e a mensagem do conjunto se enfraqueceria. A distância focal final ficou em 60mm (em APS-C, uma meia tele), e a altura num ponto intermediário entre estar em pé e estar de joelhos. A abertura utilizada foi f/8, tanto por proporcionar uma profundidade de campo boa como por ser o sweet spot da lente.

A posição também me permitiu excluir qualquer outro elemento da composição (na verdade, no canto superior direito aparecia um resquício da outra margem do rio, mas ele foi excluído em pós-produção), mas precisei inclinar a câmera horizontalmente para fazer com que os sapatos formassem o triângulo desejado (sem o horizonte a percepção de que a foto está torta não vem de imediato).

Anúncios

Uma resposta em “Sapatos de ferro

  1. Pingback: Budapeste | FINESTRINO

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s